• Best Shopping


    Danilo Angrimani

    Quem chega a São Bernardo pela entrada do quilômetro 18 ganha de presente um cartão postal de um empreendimento falido. O prédio do antigo Best Shopping é um monumento em homenagem ao abandono e à degradação urbana. Paredes pichadas, vidros quebrados, aparência soturna, o imóvel é um elefante branco e sujo encravado na bela Chácara Inglesa. Nos anos 90, o lugar era um centro de comércio fervilhante. Hoje, por seus corredores úmidos e cobertos de detritos, vagam mendigos e usuários de droga.
    O prefeito Luiz Marinho colaborou decisivamente para fazer renascer o também falido Golden Shopping. Seria importante agora priorizar o Best Shopping, herança maldita de administrações omissas.
    Mais do que centros de compras, os shoppings se transformaram em ponto de encontro, onde as pessoas reveem amigos, namoram, fazem negócios ou espairecem. Cada um tem o seu shopping preferido. O meu é o Metrópole (São Bernardo). A praça de alimentação atende todos os apetites. Em uma espécie de piazzeta, iluminada por luz natural, gosto de tomar café aromatizado (baunilha e nozes) e jogar conversa fora. Frequento quase sempre as mesmas lojas, o que me dá vantagens na hora dos descontos.
    Minha única ressalva, em relação ao Metrópole e outros shoppings da região, é a programação dos cinemas. Os filmes em cartaz têm como alvo a garotada pré-adolescente. Para se ver uma obra saborosa e premiada como O Segredo dos Seus Olhos, é preciso ir a São Paulo, porque não há no ABCD um cinema diferenciado, com programação adulta.
    Por falar em gente adulta, o sujeito leva a garota para a cama e durante as preliminares repara na foto de um homem ao lado da cama. Fica curioso. Seria o namorado dela? Seria o pai? Quem era aquele bonitão na foto? A garota reluta, mas acaba confessando: “Sou eu antes da operação”. Ops!